Transição Planetária - V

quarta-feira, 15 de abril de 2009

transicao

VISÕES DO FUTURO

Acabara de sair em espírito do corpo físico e Ashtar me proporcionou uma viagem através do tempo, para o futuro da Terra. Esta projeção me levou a Brasília no dia das transformações planetárias.Em espírito me vi em uma calçada em frente a um dos prédios de uma quadra comercial do final da Asa Norte do Plano Piloto. Estava de pé, e vi que o tempo indicava o cair do crepúsculo, o sol havia se posto e a noite tomava conta do ambiente.Escutei a voz de Ashtar em minha cabeça, identifiquei que ele estava falando comigo por telepatia.

Ele me falou que prestasse muita atenção no que iria acontecer pois me caberia narrar o que fosse visto quando regressasse ao corpo físico; com isto agucei minha atenção.A rua mostrava-se repleta de carros visto que as pessoas que saíram de seus trabalhos estavam regressando para suas casas, algumas andavam pela calçada porém sem notarem minha presença, pois, como ali estava em espírito, seus olhos físicos não podiam me ver. A movimentação das pessoas aparentava normalidade.

De súbito um vento estranho soprou fortemente de cima para baixo verticalmente, a pressão atmosférica começou a ser abalada, com isto o ar começou a tremer. Imediatamente os carros pararam, e as pessoas tomadas de assombro começaram a correr por todos os lados, algumas já gritavam de pânico. O chão começou a tremer e coisas desabavam, neste momento olhei para o céu e vi pontos luminosos surgindo em todo horizonte, tais luzes começaram a descer em direção ao solo.

Ao se aproximarem de onde me encontrava, pude identificar que algumas eram naves batedoras que começavam a transmitir informações verbais por meio de aparelhos que conseguiam neutralizar o distúrbio atmosférico.Estas são algumas das informações que pude ouvir: O planeta está passando por uma transformação há muito esperada para o bem dos seres que aqui viverão seguindo as leis de Deus, pedimos que procurem manter a harmonia por que dentro do possível, serão recolhidos.

Logo após as pequenas e luminosas naves descerem, outras naves diferentes estavam descendo e começaram a recolher pessoas. Uma das naves deu um vôo rasante sobre minha cabeça, olhei para cima e vi escrito em alto relevo no casco da nave a seguinte frase: "Brasil, nós o amamos, estamos aqui para ajudá-lo."

Ao voltar meus olhos para as pessoas vi um mundo em desespero e pavor, a energia elétrica havia acabado, e na escuridão das ruas o desencarne ceifava os corpos físicos de muitos. Próximo de mim passaram correndo duas mulheres que tentavam falar histericamente com alguém por meio do telefone celular, que por sinal não estava funcionado.

Percebi que elas, como a maioria das pessoas, estavam pensando que as naves é que estavam provocando tudo aquilo. Fui tomado pela emoção e corri em direção daquelas duas mulheres desesperadas e lhes disse que as naves estavam ali para ajudar e que não precisavam ter medo, pois no mundo físico ou no espiritual receberiam ajuda. Isso de nada adiantou, pois eu ali estava em espírito e elas não me puderam ver ou escutar.

Voltei a observar o que acontecia, raios elétricos estranhos desciam do céu em direção ao solo e iam como que queimando ou desintegrando as coisas, os prédios começaram a pegar fogo e a ruir de cima para baixo.As naves que recolhiam as pessoas levavam-nas para o interior de naves-mãe fora da atmosfera terrestre, onde estariam em segurança. Pouco a pouco o portal dimensional começou a descer com sua cor, de um dourado muito forte quase alaranjado, e foi envolvendo todo o planeta.

Nada escapava a esse envolvimento que ia alterando a matéria, fazendo aumentar a cadência de vibração de todas as suas moléculas. A operação de resgate durara alguns minutos. Ashtar explicou-me que, após o clima terrestre ser reequilibrado, recolocariam as pessoas na Terra e os ETs ajudariam a reconstruir uma nova civilização com doação de equipamento e o serviço de técnicos especializados, pois a lei do carma estaria alterada positivamente.

Voltei para o corpo físico e sem demora tratei de memorizar cada detalhe do que tinha visto e ouvido. Vi que em sua grande maioria as pessoas não estavam preparadas. Não o estavam porque não trabalharam seu lado espiritual de respeito às leis do criador absoluto. As pessoas tiveram a oportunidade de se preparar. Lembrei-me de que em minhas palestras eu havia prevenido muitos. Infelizmente a maioria ridicularizara o aviso e não imaginara que no momento da transição não haveria nem tempo de se lembrar que foi avisado, tão grande o pânico!

O processo de transferência para o interior da nave é a teleportação. A pessoa é desmaterializada aqui e rematerializada no interior da nave. Alguns pensavam que as pessoas estavam sendo destruídas pelos ETs! O medo da morte, apego, tanto afetivo como material, talvez tenha sido o principal trauma que observei no momento da transição. Daí sobrevinha uma solidão profunda, porque as pessoas não tinham ninguém em quem se amparar, em sua maioria se sentiam desesperados e sós.

Mas uma minoria já estava esperando por isso e, enquanto tudo acontecia, se regozijava de ver toda a miséria se acabando, finalmente iria ter um mundo novo, um mundo livre desta maneira autodestrutiva de viver, livre de vícios e de bombas que exterminam pessoas, livre da fome e da doença, da ignorância e do egoísmo.

Não há nada que possa parar estas mudanças, porque é um acontecimento cósmico. Portanto, é preciso imediatamente que a pessoa cultive o desapego material, viver não para ter, mas ter para viver. Não encarar tudo como meu, mas como emprestado pela vida. Até mesmo este corpo com que nos manifestamos neste mundo não nos pertence, pois, se agora estamos encarnados, daqui a pouco podemos não estar.

A pessoa materialista de repente vê que não tem mais dinheiro no banco, que não tem mais seu emprego, que sua empresa não mais existe, o carro some, acaba tudo que tinha, nem sabe se terá mais amigos e se irá reencontrar seus familiares. A quem recorrer? É importante que saibamos que não são as naves que vão provocar a transição dimensional. Elas estão aqui para nos ajudar e não para provocar confusão. De nada adianta saber o dia exato e o local da transição. O local é o planeta inteiro, por isto não pense que escapará só porque comprou uma fazenda lá no morro mais alto ou se escondeu em um buraco bem fundo.

Também de nada adianta ser abastado e mandar construir um abrigo anti-atômico. A Terra vai ser interpenetrada pelo portal, que é muito mais que energia atômica ou nuclear, é energia dimensional. Logo, não existe átomo ou partícula que não seja jogada para a 4ª dimensão. É preciso iniciar já o processo de preparo interno, porque não há como fugir eternamente, é preciso parar com essa coisa de tirar o corpo fora.

Quando acontecer, quem já tiver contato com o seu Eu interno e com a Hierarquia Espiritual, quem já tiver trabalhado o desapego material e afetivo (amor é diferente de apego) terá muito menos trauma. Mas isto não quer dizer que devo hoje deixar o emprego, dar todos os meus bens materiais para os outros e viver apenas com minha camisa e meus chinelos.

Enquanto não chega a época da transição, temos a oportunidade de nos aprimorar e, ao invés de ficar alimentando as ilusões materiais, é preciso despertar a consciência para o que realmente importa, cultivando a fraternidade, o desapego e o contato com a essência interna.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
*AO ENCONTRO DA ALMA* | by TNB ©2010